Arquivo anual 2009

porKeeperCookie

Onde perdemos a nossa verdadeira identificação com as coisas do nosso estado e do nosso país?

Não sei quando, não sei onde, não sei como. Não sei, mas perdemos um pouco o nosso orgulho pelas coisas da nossa terra.  É a globalização?  São as multinacionais que adotam nossa terra e em seguida tomam conta dela? Será que é a internet que nos leva a ter contato com tudo e com todos e esta massificação é que faz com que nos desliguemos dos nossos verdadeiros costumes?

Esta é uma questão que vou pesquisar e tentar encontrar respostas entre uma chimarrão e outro, entre um churrasco e outro, entre uma bombacha e outra, montado no pingo, (cavalo) ou não, frequentando os  CTG’s, festejando a Semana Farroupilha, ou simplesmente, TCHE, falando com este nosso sotaque muito peculiar.

Por hora vou anexar o hino que muitos gaúchos ainda conhecem para que percebam a sensibilidade do poeta Francisco Pinto da Fontoura.

HINO DO RIO GRANDE DO SUL

Como a aurora precursora
Do farol da divindade
Foi o 20 de Setembro
O precursor da liberdade

Mostremos valor constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

De modelo a toda Terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

Mas não basta pra ser livre
Ser forte, aguerrido e bravo
Povo que não tem virtude
Acaba por ser escravo

Mostremos valor constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra

De modelo a toda Terra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda Terra.

porKeeperCookie

Não a obrigatoriedade

A fila era grande, meio desorganizada, alguns em grupinhos conversavam, outros, concentrados no aguardo e a porta não se abria. Contei os guris, eram uns trinta esperando a seleção começar. Não conhecia ninguém. Todos da minha cidade e eu não conhecia ninguém. Será que eles estão ali porque querem ou por um dever, uma obrigação?

Observei-os: Uns praticamente homens feitos, outros ainda parecendo umas crianças, mas todos com 18anos completos. E será que sabiam o que queriam ali, naquela fila, a espera da seleção? Perguntei. Uns respondendo que queriam ser dispensados para continuar os estudos, não perder o emprego, outros dizendo tratar-se de uma valiosa oportunidade de emprego, crescimento e futuro, mas todos protestando contra a obrigatoriedade do serviço militar.

Século XXI, jovens com 18 anos em todo Brasil obrigados a se alistar e tendo o seu destino traçado por alguém que foi destinado da mesma maneira?

“É a treva” como dizem certas pirralhas globais.

Penso que está na hora de acabar com estas imposições, pois tudo o que é obrigatório não tem legitimidade e se fosse tão bom como muitos dizem, não seria, redundando, obrigatório.

Só falta eu descobrir agora que o voto é obrigatório, que ter CPF é obrigatório,  Carteira de Identidade, de motorista  é obrigatório,  que …

Socorro!!! É a treva o fim!!!

porKeeperCookie

Cuidar da alimentação é importantíssimo para manter o corpo e mente sadios.

Estamos todos gordos um pouco acima do peso. Ok, quase todos. Tem gente que exagera, não consegue alimentar-se só do necessário. Não conseguem gastar mais calorias do que ingerem. E fazem academia. E fazem caminhadas. E fazem pesquisas na internet sobre dietas milagrosas para emagrecere prometem a si mesmos seguir rigorosamente para alcançar o peso ideal, mas sucumbem na primeira tentação e se entregam a um dos maiores pecados, o da gula.

Mas como resistir? Como comer alface, brócolis, brotos de alfafa, cenoura ralada? Como fazer uma refeição balanceada se o que nos chama atenção é a lazanha, a pizza, as massas com aqueles molhos deliciosos, o churrasco (uma picanha ou uma costela gorda), os lanches com maionese e bacon e calabresa e queijo, pastéis fritos e brigadeiros e papos de anjo e sobremesas de todos os tipos e chocolates e isto e aquilo?

Só neste mês de agosto tivemos três aniversários lá no trabalho regados a cachaça, cerveja tortas, salgadinhos e refrigerantes. Como resistir?

Já coloquei aqui no blogue a receita de um sanduíche que adotei para o meu dia a dia, mas penso que a receita certa é o equilíbrio, comer de tudo sem exagerar, sem esquecer das frutas, da água, de alimentar-se mais seguidamente e de sempre olhar naquele espelho de corpo inteiro que alguns tem em casa e outros podem aproveitar o das lojas, para que vejamos em que nos transformamos, se o que vemos é o que somos, se o que vemos é o que queremos ser.

Não devemos idealizar um corpo, nem aceitar as imposições/sugestões da mídia e da publicidade e das indústrias, devemos aceitar o nosso biotipo, adequar-nos ao nosso verdadeiro peso e com isto melhoraremos consideravelmente nossa saúde e não será necessário implantar um “chip” para regular o funcionamento do nosso corpo mente e alma.

Claro que depois de tudo isto, de abstermos-nos de algumas tentações e, dentro do equilíbrio que falei no parágrafo acima, poderemos até comer aquele “Ferrero rocher” que tanto gostamos.

Com licença que vou ali comer o meu…